EM BUSCA DO AMOR

EM BUSCA DO AMOR

O meu Destino disse-me a chorar:
“Pela estrada da Vida vai andando,
E, aos que vires passar, interrogando
Acerca do Amor, que hás-de encontrar.”

Fui pela estrada a rir e a cantar
As contas do meu sonho desfiando…
E a noite e dia, à chuva e ao luar,
Fui sempre caminhando e perguntando…

Mesmo a um velho eu perguntei: “Velhinho,
Viste o Amor acaso em teu caminho?”
E o velho estremeceu… olhou…e riu…

Agora pela estrada, já cansados,
Voltam todos pra trás desanimados…
E eu paro a murmurar: “Ninguém o viu!…”

Florbela Espanca

SONETO DA FELICIDADE…

Soneto da Fidelidade – Vinícius de Morais

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zêlo, e sempre, e tanto, que mesmo em face do maior encanto,
dêle se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento, e em seu louvor hei de espalhar meu canto  e rir meu riso e derramar meu pranto  ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure quem sabe a morte, angústia de quem vive
quem sabe a solidão, fim de quem ama eu possa me dizer do amor (que tive)  Que não seja imortal, pôsto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.